Comer com a família pode prevenir distúrbios alimentares dos filhos

Início / Blog / Comer com a família pode prevenir distúrbios alimentares dos filhos

Além de um momento de descontração, reunião proporciona dieta mais saudável

 

Uma pesquisa divulgada pelo jornal Pediatrics, dos Estados Unidos, comprovou que fazer no mínimo cinco refeições semanais em família contribui para controlar o consumo de alimentos com calorias vazias, reduzindo os riscos de problemas alimentares, como obesidade, anorexia e bulimia em 35% em crianças e adolescentes.

Há tempos atrás esse ritual familiar era um hábito comum. Os membros da casa sempre se reuniam para realizar as refeições, desde o café da manhã até o jantar. Um momento de descontração, no qual se colocava a conversa em dia, e acompanhamento sistemático dos pais em relação à alimentação dos filhos. As mães normalmente cozinhavam e realizavam as compras da casa. Esse era o retrato vivido no tempo de nossos pais ou avós.

A disponibilidade de alimentos fáceis de preparar, como lanches, fast-foods e comidas prontas congeladas tomaram conta de nossa rotina de vida.

Os alimentos eram mais saudáveis e selecionados. Todos preparados pela mãe ou mesmo supervisionados por ela. Hoje, a nossa realidade é bem diferente. O normal é não realizar refeições juntos, principalmente nas grandes cidades, onde pais trabalham fora e acabam não tendo tempo de voltar para casa para almoçar e jantar com seus filhos. Muitos ficam aos cuidados de pessoas despreparadas. Outros se viram com o que tem na geladeira ou despensa. É uma dura realidade!

Ao mesmo tempo, muita coisa mudou. A disponibilidade de alimentos fáceis de preparar, como lanches, fast-foods e comidas prontas congeladas tomaram conta de nossa rotina de vida. Acaba sendo muito mais fácil e rápido passar em algum local e levar para casa tudo pronto ou mesmo cada um da família comer alguma coisa diferente, já que o ritual de chegar todos em casa no mesmo horário é impossível, salvo algumas exceções. O mundo atual com tantos avanços trouxe como consequência à dificuldade de reunir toda família.

Os armários recheados com salgadinhos, bolachas, guloseimas atrativas em embalagens atraentes e fáceis de comer acabam sendo o principal alvo das crianças e jovens.

O estudo Is Frequency of Shared Family Meals Related to the Nutritional Health of Children and Adolescents acompanhou hábitos alimentares de 182.836 jovens com idade entre 2,8 anos e 17,3 anos, constatando queda de 12% no sobrepeso no grupo que fazia refeições em família.

É muito importante escolher alternativas para essa situação e buscar se reunir com os filhos sempre que possível. O contexto familiar ainda é o local mais seguro para se conviver, no qual o afeto e o acolhimento são esperados.

Os pais devem acompanhar o mais perto possível o processo alimentar de seus filhos, cuidando para que alimentos saudáveis e, se possível, previamente preparados por alguém de confiança sempre estejam disponíveis em casa. Isso vai evitar que na ausência dos pais, os filhos ataquem as guloseimas da casa. Tudo é válido na batalha contra a obesidade. Até mesmo marcar o dia de encontro da família.

Este é o momento de retomar velhos hábitos e resgatar momentos que favoreçam e fortaleçam a família. Nada como um bom jantar quentinho em família, um abraço carinhoso, uma noite animada e, quem sabe, muitas risadas.

http://www.minhavida.com.br/conteudo/13583-comer-com-a-familia-pode-prevenir-disturbios-alimentares-dos-filhos.htm

Escreva um comentário