Comida versus sentimentos

Início / Blog / Comida versus sentimentos


Alguma  vez você parou para analisar do porque acaba abrindo o armário ou geladeira, e comendo de forma compulsiva?Abre uma caixa de bombons e só para ao esvaziar?
Utilizamos a comida muitas vezes como forma de amenizar nossas frustrações, compensar a correria do dia a dia, pela raiva do trabalho que não finalizou, o contrato que não fechou.
Usamos a comida nessas horas para aliviarmos sensações ruins que estão presentes em inúmeros acontecimentos em nossa vida, como uma forma de nos sentirmos mais confortáveis.

Se isso acontece com você, não se assuste, pois são inúmeros os relatos de pessoas que tem esse comportamento em relação a comida.

Os chocolates por exemplo, elevam o nível de seretonina no organismo que produz a sensação de bem estar. Mas sabemos que esse comportamento apesar de delicioso, pois não satisfaz somente nosso paladar, como produz uma sensação de satisfação, irá se instalar em nosso corpo em forma de gorduras (indesejáveis)

Mas, e o peso como fica? É claro que o comportamento de utilizar a alimentação como válvula de escape, não é adequado, pois irá gerar um aumento significativo de peso e insatisfação com sua imagem corporal.

Substituir essa alimentação excessiva por exercícios físicos é mais eficaz e mais saudável.
Quando fazemos exercícios, liberamos a seretonina em nosso organismo, que produzirá a mesma sensação de bem estar que o chocolate produz, só que forma mais eficiente e saudável , sem falar na satisfação de ter sentir-se mais disposto, com boa auto-estima, e principalmente satisfeito com seu corpo.

A Obesidade é multifatorial sim, mas o que vem disparando o aumento de casos de forma significativa, são os processos emocionais que promovem ansiedade, que nos levam ao exagero alimentar.

O processo de auto conhecimento é fundamental para lidarmos de forma mais adequada em relação as nossas compulsões. Com o aumento da auto-estima, e o reconhecimento de suas potencialidades, fica possível o alcance das metas pretendidas, nos possibilitando um melhor relacionamento com nosso corpo , e com certeza, com a comida.

Psicóloga Luciana Kotaka
Especialista em Obesidade e Transtornos Alimentares
CRP 08/06502-1
Curitiba-PR
Mostrando 3 comentários
  • Clau Finotti

    Oi Luciana!

    Chocolate é mesmo meu fraco. Doces em geral não me atraem, mas abrir um chocolate e ir degustando não tem preço! Ou melhor, tem números, e muitos números especificamente em gramas, quilos…rs…

    Já tive fases de almoçar uma barra de chocolate, acredita? Mas nunca achei que descontasse frustrações na comida não. Normalmente fazia isso nas férias, qdo morava em Gyn. Ia pro shopping, supermercado, e em vez de almoçar era sorvete, chocolate, etc…

    Hoje estou mais consciente de que se fizer uma besteira dessas posso perder metade do trabalho que tive nesses 40 dias de dieta.

    Bjo grande querida.

    Clau

  • A Minha Perda de Peso

    Infelizmente é cada vez mais díficil lidar com os sentimentos de forma assertiva. Daí comer para poder aliviar um pouco tudo o que se passa.

  • Lílian

    Querida Luciana, acho que sou um caso a ser estudado. Não como por stress, ansiedade, decepção, etc… Acho que gosto de mastigar, pode ser isso, existe essa doença? E não tenho baixo estima, gosto de mim assim, só que me imagino com uns 8 kilos a menos e acho que ficaria muito melhor. Beijos…

Escreva um comentário

WhatsApp chat Contato pelo WhatsApp