Como reacender a paixão entre você e o trabalho

Início / Blog / Como reacender a paixão entre você e o trabalho
como-reacender-a-paixao-entre-voce-o-trabalho (1)Foto: Thinkstock
  • Por Tais Romanelli, participação Luciana Kotaka

Pare por uns minutinhos e pense: como você se sentiu quando recebeu a confirmação de que tinha conquistado aquela vaga de emprego?! Ou ainda, quais foram os bons motivos que fizeram com que você se interessasse por essa oportunidade de trabalho?

Certamente, muitas lembranças vêm a sua mente após essas perguntas simples. E é neste momento que você deve se questionar, novamente: em que momento tudo mudou? Quando e, aparentemente, por que eu fiquei insatisfeita com o meu emprego?

É fato que não foi de uma hora para outra e, talvez, os motivos que fizeram com que isso acontecesse não sejam, assim, tão fáceis de identificar. Mas, com uma boa análise pessoal, você pode chegar lá!

As queixas mais frequentes

A psicóloga Luciana Kotaka destaca que costuma ouvir de seus pacientes bastante queixas relacionadas ao trabalho. “Na grande maioria das vezes, a insatisfação é com a equipe que não trabalha com a mesma dedicação. Por isso, as pessoas ficam frustradas, já que o serviço ‘emperra’ e elas não conseguem agilizar e cumprir prazos”, diz.

Outra reclamação comum, de acordo com a psicóloga, diz respeito às amizades que se formam dentro do ambiente de trabalho. “São as famosas ‘panelinhas’, que excluem os outros profissionais quando percebem que estes são mais comprometidos com o trabalho”, diz.

Quem já mudou mais de uma vez de emprego

Um motivo ou outro que deixe o trabalhador insatisfeito todo emprego tem! Porém, não são poucos os relatos de pessoas que já mudaram mais de uma vez de serviço e, ainda assim, continuam descontentes. Nesses casos, onde mora o problema?

Luciana Kotaka destaca que são muitos os motivos que levam uma pessoa a estar insatisfeita. “Muitas vezes, ela não percebeu ainda que está procurando emprego em uma área que não lhe traz satisfação profissional, que não se adéqua ao cargo ou, até mesmo, que espera um reconhecimento que não virá em função de sua postura profissional”, diz.

A psicóloga acrescenta que existem alguns testes comportamentais que traçam o perfil profissional, para destacar quais são as suas maiores habilidades. “E nem sempre a pessoa está investindo no que tem de melhor e, sim, em outra área. Um exemplo seria o de um funcionário que tem um perfil mais passivo e se daria melhor em uma área aonde somente tivesse tarefas a serem cumpridas, algo mais burocrático… Porém, essa pessoa quer ser líder, ocupar um cargo de chefia e fica infeliz quando um outro colega é indicado para esses cargos e ele não recebe a promoção que ansiava”, exemplifica.

Vale destacar também o caso de pessoas que não estão bem consigo mesmas e não conseguem usufruir do que têm de bom em sua vida. “Desta forma, mudar de emprego seria uma ‘saída mágica’. Porém, ao mudar de serviço, a pessoa se depara novamente com a insatisfação, que, na verdade, deveria ser tratada com ajuda terapêutica. Para que ela pudesse identificar os porquês de não estar nunca bem, de bom humor ou satisfeita”, explica Luciana Kotaka.

6 dicas para se manter motivado

motivacao para trabalho Como reacender a paixão entre você e o trabalho

Foto: Thinkstock

Abaixo você confere algumas dicas importantes para recuperar a motivação no seu trabalho, se este for o seu caso, ou, simplesmente, para se manter mais satisfeito com o seu emprego:

1. Invista no seu lazer: pessoas que têm o hábito de investir em atividades de lazer e aprimoramento pessoal costumam ter um nível de satisfação maior. “A verdade é que temos pouco tempo para cuidarmos do lazer ou de ter alguma outra atividade como investimento pessoal. Desta forma, principalmente as mulheres que têm casa e filhos para cuidar, se sentem sugadas pela falta de tempo e não conseguem procurar uma forma de sentirem-se mais felizes”, diz Luciana Kotaka.

Ainda de acordo com a psicóloga, quando é possível realizar essas atividades, a pessoa se sente mais segura, fica satisfeita em adquirir novos conhecimentos, em poder aplicá-los na sua atividade profissional. “Na vida pessoal também, o lazer tem a função de diminuir o estresse e trazer um sabor, um colorido a mais em sua vida. A dica é dar mais risadas, compartilhar, trocar ideias, ou mesmo se dedicar a um artesanato, por exemplo, ou a um jogo de tênis – o que lhe toma a atenção, desviando o foco do dia a dia estressante”, explica.

2. Tenha autoestima: de acordo com Luciana, a autoestima deve ser o ponto de partida para ser um profissional seguro. “Pois assim a pessoa saberá diferenciar crítica de sugestão; não pegará para si trabalho que não lhe compete; e nem entenderá errado comentários que muitas vezes ocorrem no ambiente de trabalho, e que ela acaba julgando como críticas pessoais”, explica.

3. Seja positiva: a psicóloga Luciana destaca que este é um aspecto que poucas pessoas cultivam. “É importante que possamos cultivar o bom humor, pensamentos alegres e que motivam no trabalho. Profissionais pessimistas contagiam os colegas e criam um mal estar constante”, diz.

4. Seja organizada: Luciana Kotaka destaca que não existem regras para que o dia a dia e as relações no serviço sejam mais satisfatórios, porém, “ter metas quanto ao trabalho realizado, organização, cumprir prazos, cultivar a simpatia e a delicadeza são ações que fazem uma diferença enorme”, explica.

5. Faça o que gosta: uma frase bastante conhecida alerta “faça aquilo que gosta e não terá de trabalhar um único dia na sua vida”. E, embora, nenhum serviço seja totalmente perfeito, é possível, sim, trabalhar com aquilo que você deseja.

Mas, para isso, é preciso, primeiramente, ter em mente o que, de fato, você gosta, o que quer para a sua vida profissional. Por isso, se for necessário, não deixe de procurar ajuda profissional, faça testes vocacionais e lute para trabalhar com algo que realmente te faça feliz.

6. Descubra se é o momento de sair: se você já tentou todas as dicas acima e não obteve sucesso, é hora de pensar sobre a possibilidade de sair do seu emprego. Comece a repensar em tudo: “quero mesmo continuar nessa área?”; “mudando de serviço, vou mesmo me sentir mais satisfeita?” etc. E quando estiver totalmente decidida, inicie uma nova busca por emprego.

Com essas dicas fica mais fácil parar e pensar no seu caso: você está mesmo insatisfeita com o seu trabalho? Ou será que, com um pouquinho mais de motivação, as coisas podem melhorar? O que você pode fazer para aperfeiçoar seu relacionamento com os colegas de serviço? O que pode fazer para se sentir mais feliz também no dia a dia? Tendo essas e outras respostas em mente, fica bem mais fácil definir qual é o melhor caminho a seguir!

Comentários
  • Cris

    Oi, Luciana!

    Tudo bem? Nossa, ando tão por fora dos blogs…dei uma desanimada de escrever, acho que não levo jeito mesmo para blogueira…rs…acabei não acessando mais os blogs amigos. E você, como vai? Saudades de passar por aqui…

    Adorei as dicas, estou num momento meio assim “borocochô” no trabalho e pra mim foi muito útil!

    Bjs pra você!
    Cris

Escreva um comentário