Compulsão, um obstáculo a ser vencido

Início / Blog / Compulsão, um obstáculo a ser vencido

Se permitir olhar para os problemas emocionais é um dos caminhos da cura

Quando somos bebês, nossas mães nos alimentam prontamente, o que traz uma sensação de conforto e bem estar imenso. Essa sensação inicial proporciona que fique estabelecido que comida traz muito mais do que a nutrição do corpo, ela também aquieta a alma.

Porém quando falamos em comer compulsivo, fica claro que o as pessoas que tem esse comportamento alimentar, não tem consciência do que é a fome, agindo com impulsividade na hora de se alimentar, como se precisasse engolir uma quantidade muito grande de comida, para acalmar-se. Importante pontuar que, nesses casos, não se come por fome, e sim, por desejo de comer.

As dietas são uns dos fatores que desencadeiam o processo compulsivo, pois na maioria das vezes, as pessoas se aventuram a fazer dietas restritivas, com o objetivo de perder peso rápido, porém é um processo contraproducente, e leva ao reganho de peso. Como tudo é cíclico, fazem dietas, derrapam, comem novamente, baixa a autoestima, e o ciclo vicioso está instalado.

Por mais que tenham acesso a textos, sites, ou mesmo já tenham passado pelo profissional da nutrição, algo escapa ao controle, o saber por si só, não faz mudança de comportamento.

Esse é um ponto a ser considerado, pois como a comida é difícil controlar, as drogas diversas também são, pois agem diretamente no nível cerebral, no centro do prazer.

Porém, é claro que quaisquer que sejam as dependências, o indivíduo que se sente preso a esse ciclo de comer demais, precisa tomar em suas mãos a responsabilidade de mudar, sendo fundamental que procure profissional da área de psicologia, para que possa tomar consciência dos fatores que as levam comer em excesso.

Desta forma, consciente de seu comportamento, poderá recorrer a estratégias para que não utilize a comida como substituto para amenizar seu mal estar. Toda vez que perceber que está prestes a comer por desejo e não por fome, poderá recorrer a um plano de ação, em busca de aliviar seus problemas, evitando comportamentos autodestrutivos que podem levar ao sobrepeso e a obesidade.

Quando desenvolvemos comportamentos assertivos em relação a nossa vida e a alimentação, significa que podemos dizer “não”, isso tanto em relação à comida em si, quanto aos nossos impulsos, às demandas externas, que muitas vezes nos levam a procurar o conforto de forma imediata.

Mudar a concepção de que comida é um presente, é um dos primeiros passos a ser tomado, pois é frequente que a pessoa compulsiva, utilize da comida como forma de compensação ou prazer, sendo o caminho mais fácil de auto sabotagem.

Enfim, poder refletir no que está por trás do desejo de manter-se acima do peso, pois a compulsão é somente mais um sintoma do que não consegue resolver dentro de si, e retirar o sintoma significa encarar o que não está bem, fazer um movimento em busca da solução de seu conflito.

http://www.dicasdemulher.com.br/compulsao-um-obstaculo-a-ser-vencido/

Luciana Kotaka

Psicóloga e especialista em Transtornos Alimentares desenvolve seus trabalhos há mais de 14 anos. É referência nesta área por realizar atividades focadas em tratamentos que envolvam a relação direta entre o distúrbio do peso e a psicologia. CRP: 08/06502-1

Escreva um comentário

WhatsApp chat Contato pelo WhatsApp