Doce prazer!

Início / Blog / Doce prazer!

Sabe aquela vontade incontrolável de comer um docinho que perturba a gente dia após dia? Chocolate, mousse, bolo, doce-de-leite, pão de mel… não importa! Parece que quanto mais doce melhor!
Aí, enquanto a gente come, a sensação de prazer e de que se o mundo acabasse ali, você seria a pessoa mais feliz do mundo! Mas é só terminar a guloseima que já nos sentimos arrependidos ou culpados.Essa sensação de saciedade e prazer está diretamente ligada a produção de serotonina, uma substância responsável por melhorar o humor, causando sensação de bem-estar. Funciona assim: o açúcar de doces como o chocolate, por exemplo, é metabolizado mais fácil pelo organismo. Como a serotonina necessita de açúcar para ser produzida, ela entrará no sistema circulatório em maior quantidade. Daí a sensação de prazer quase que imediato quando comemos um docinho.

“Há ainda uma relação de identidade com a comida. Os doces estão, normalmente, relacionados a momentos agradáveis, a situações de prazer”, completa Fernanda Pisciolaro, nutricionista da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso).
A nutricionista comenta ainda que pessoas que simplesmente eliminam o docinho de todos os dias do cardápio tendem a comer uma quantidade muito maior alguns dias depois. “O ideal é que se reduza a quantidade aos poucos. Se for comer doce todos os dias, deve-se comer sempre com moderação.”
“Quando se come doce para suprir alguma necessidade psicológica, e não pelo comer o doce em si, é comum que a pessoa sinta prazer apenas enquanto está comendo. Em seguida, fica a sensação de culpa, de que ela não deveria ter comido o doce”, explica Fernanda Pisciolaro.
Mas não se engane, a comilança de chocolates e afins no dia-a-dia não é considerada saudável. “Comer chocolate todos os dias não é normal, isso é um exagero. Ninguém nasceu comendo doce, então não se tem a obrigação de comê-lo sempre”, orienta Fernanda Ferreira Corrêa, nutricionista da Universidade Federal de São Paulo.
E quem exagera na quantidade de açúcar ingerido para tentar suprir um momento de estresse, ansiedade ou insegurança pode se dar mal. “Ingeridos em quantidades exageradas, os doces podem causar obesidade, problemas cardíacos e diabetes”, alerta Fernanda Corrêa.
Durante a tensão pré-menstrual, algumas mulheres tendem a suprir o estresse do período aumentando o consumo de doces. Assim, elas conseguem uma sensação de bem-estar momentânea e diminuem a irritação. “Mas não é necessário comer doce, o sentimento envolvido durante a TPM é psicológico”, complementa Fernanda Corrêa.
Uma dica para diminuir a ingestão diária de doces é ir substituindo-os aos poucos por frutas doces, como manga, mamão e melancia, ou por gelatinas light. Você também pode ir variando o cardápio com doces em copotas até que sinta necessidade em comer chocolate, por exemplo, uma vez por semana.
“Comer doces todos os dias não pode se transformar em um hábito. O doce deve ser ingerido pelo gosto, não pela lembrança boa que ele traz. O ideal é que se coma apenas uma porção similar ao tamanho de uma mão fechada por dia”, finaliza Fernanda Pisciolaro.
Serviço:
Fernanda Ferreira Corrêa – nutricionista
Fernanda Pisciolaro – nutricionista

Escreva um comentário