No outro extremo, a obsessão por comida saudável

Início / Blog / No outro extremo, a obsessão por comida saudável

 

 

 

 

São Paulo, 08 (AE) – Que tal um suco de tomate? Só se for orgânico, cultivado sem pesticidas. À primeira vista a intenção é boa, mas até mesmo uma alimentação saudável pode esbarrar em desvios patológicos quando levada ao extremo. Gastar muito tempo ou dinheiro em busca de alimentos considerados naturais e banir os restaurantes dos planos de lazer seriam alguns sinais de um quadro psiquiátrico que o médico americano Steven Bratman chamou de ‘ortorexia’.

 

A hipótese de Bratman está lançada no livro “Health food Junkie” (´Viciados em comida saudável´), mas o termo ortorexia ainda não é usado cientificamente pelos médicos. “Quadros subclínicos como a ‘ortorexia’ integram uma categoria que chamamos de desvios do comer desordenado.

 

Há uma falsa ideia de que existem só dois grupos: as pessoas normais e as que têm transtorno alimentar. Entre esses extremos há um leque de comportamentos inadequados”, analisa a pesquisadora Marle Alvarenga, pós-doutora em nutrição humana e coordenadora Grupo de Estudos em Nutrição e Transtornos Alimentares (Genta).

 

Na avaliação de Marle, a obsessão pela comida natural se difere da anorexia por visar a saúde e não a perda de peso. “Quem tem uma visão ortoréxica da alimentação viaja quilômetros para comprar alface, por exemplo. É uma pessoa que não se contenta em priorizar arroz integral: ele jamais come o tipo branco porque acha que aquilo é impuro, que o ato é quase imoral. São pessoas inflexíveis, que sentem-se superiores a quem se alimenta normalmente.”

 

A profissional diz que o quadro é mais comum em mulheres, sobretudo porque a ortorexia mantém estreita ligação com os transtornos alimentares tradicionais. “A maioria das bulímicas e anoréxicas tem uma visão ortoréxica sobre a alimentação saudável. Nos homens, a questão da ortorexia aparece vinculada ao estilo esportista. Alguns vivem praticamente de ‘ração’: é shake no café, cereal no lanche e um arroz integral com frango que eles chamam de carboidrato e proteína. A cultura atual até favorece a situação, de modo que a pessoa nem desconfia de que tem um problema”, critica.

 

Para a diretora da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran), Maria del Rosário de Alonso, o isolamento social é uma consequência do comportamento ortoréxico. “Se a pessoa prefere ficar em casa a comer uma pizza com a namorada, é preocupante. Esse quadro se apresenta de forma simpática no começo, até evoluir para uma obsessão que conduz a situações de desnutrição grave e deficiências de nutrientes”, detalha.

 

Doutor em psiquiatria pela USP e coordenador do Ambulatório de Bulimia e Transtornos Alimentares (Ambulim) do HC, Táki Cordás acredita que a ortorexia é um sintoma de transtornos alimentares maiores e não um quadro específico. “É um sintoma que pode levar à anorexia e bulimia. Na verdade, essa preocupação com o saudável funciona como um álibi, uma justificativa, para que a pessoa comece a restringir os alimentos sem culpa”, opina.

http://www.abril.com.br/noticias/comportamento/outro-extremo-obsessao-comida-saudavel-557935.shtml

Mostrando 2 comentários
  • Bicha Fêmea

    Conheço uma pessoa que foi a uma festa de aniversário de família. Mas pensa que ela quis compartilhar do momento comendo os quitutes típicos desse tipo de evento? Absolutamente! Tratou de preparar o lanche saudável e colocou tudo num pote. No momento da comilança, ficou um pouco estranho essa pessoa, sozinha, se recusar a comer do que todos comiam. Mais tarde, quando dividiu seu “feito” com a médica, levou um sermão da doutora e ouviu o alerta de que aquele comportamento já beirava o exagero, porque uma vez ou outra comer coisas de festa não faz mal a ninguém. A pessoa se enmendou, e nunca mais fez isso… tsc tsc tsc…

    :*
    Lidi

  • solange

    Conheço uma pessoa bem próxima a mim que tem agido assim e não sei como agir pq ele é radical e inflexível. Não ouve ninguém e “todos que acham que ele exagera” são considerados inimigos. Eu não quero ser afastada, então me calo e só observo. Só como o que tem em casa, não come em restaurantes, festas, enfim… Como agir com uma pessoa assim sem ser excluída de sua vida?
    Bjs

Escreva um comentário

WhatsApp chat Contato pelo WhatsApp