Diálogo entre casais pode amenizar diferenças e brigas

Início / Blog / Diálogo entre casais pode amenizar diferenças e brigas

Estresse causado por esses conflitos causa desgaste do relacionamento

Por Luciana Kotaka

Iniciamos um relacionamento e criamos uma idealização de como transcorrerá a vida a dois, que acontece em cima de expectativas pessoais. Porém, já estamos contaminados por um conjunto de crenças e experiências pessoais de vida que, de alguma forma, poderão determinar o relacionamento do casal.

Os aspectos culturais, situação socioeconômica e as crenças de cada um, associados às dificuldades externas, podem levar o casal a estressarem-se mutuamente. Muitas vezes ocorre um desgaste no relacionamento, podendo levar o casal a tomar decisões imprevisíveis e precipitadas, como o divórcio.

Um exemplo bem comum nos dias de hoje é o crescimento da mulher no campo de trabalho, e consequentemente, o aumento do desgaste físico e mental a que ela está exposta. Com a saída da mulher de casa para desempenhar outras funções, se somou mais uma identidade entre os diversos papéis desempenhados por elas diariamente.

Com clareza e respeito, o parceiro oportunizará o bom relacionamento e comunicação do casal, eliminando fontes estressoras

Essa série de exigências advinda da evolução do universo feminino acaba por demandar da mulher uma elasticidade absurda, pois com a abertura de novas frentes de trabalho, ela vem se qualificando, estudando, sem deixar de ser a responsável pelo bom andamento e funcionamento da rotina familiar.

É muito frequente mulheres se queixarem da falta de iniciativa dos parceiros em casa, pois elas acabam tendo uma jornada tripla de trabalho, já que tem o jantar para preparar, a casa para arrumar, os filhos para dar banho. Em contrapartida, muitos homens foram criados para desempenharem somente o trabalho externo, deixando para a mulher os cuidados com os filhos e a casa. Como foram criados desta forma, não se dão conta da necessidade da mudança e adaptação à nova realidade que o mundo atual exige dos parceiros. Essas diferenças geram grandes conflitos, levando o casal a ter atitudes contraproducentes. Com isso, instalam-se situações de estresse entre o casal, levando a um desgaste do relacionamento.

No exemplo acima, os parceiros devem estabelecer novas regras de convivência, com conversas frequentes que abordam as necessidades que cada um tem, além de oferecer sugestões realistas de como resolver conflitos e minimizar os efeitos de atitudes destrutivas produzidas pelo parceiro em momentos de estresse.

Com clareza e respeito, o parceiro oportunizará o bom relacionamento e comunicação do casal, eliminando fontes estressoras que poderiam levar à falência do casamento.

O trabalho de confrontação de crenças tem a função de desmistificar pensamentos e comportamentos já enraizados e de auxiliar o casal a desenvolver uma comunicação assertiva, mostrando a cada um suas necessidades e eliminando os comportamentos geradores de estresse.

Desta forma, o casamento se fortalecerá e o casal poderá encontrar formas confortáveis de resolver conflitos e compartilhar funções, aliviando e minimizando os efeitos da correria do dia-a-dia.

Faz-se necessário uma reavaliação do contexto de vida a dois, para que se encontre um equilíbrio entre o trabalho e as atividades que lhes proporcionam prazer. Desta forma, o casal poderá usufruir de momentos de alegria, com trocas afetivas com família e amigos, deixando o estresse longe de suas vidas.

http://www.minhavida.com.br/conteudo/13232-Dialogo-entre-casais-pode-amenizar-diferencas-e-brigas.htm
Mostrando 2 comentários
  • Aline Flores

    Olá Luciana, sou nutricionista e estou começando com um blog relacionado a alimentação e nutrição… lá escrevo de td um pouco, dicas, testes de produtos, orientaçoes… enfim coisas bem realistas e nada radicais, entre e veja se gosta!
    http://www.sabornamedida.blogspot.com
    Bjos

  • Neli Alves

    Não sei como (gostaria de ter a fórmula!) estou casada há 41 anos… Não há cobranças, o que acho o principal. Somos hoje, com mais de 65 anos de idade, mais amigos que namorados/amantes, mas temos uma relação que todos admiram, de muito respeito e companheirismo.
    Minha filha acaba de se separar. Onze anos de relacionamento e ela não aguentava mais, ele também não. Só que ela vinha mantendo a paz e ele resolveu arranjar uma “namorada”, para desestressar! Pode?
    Bjks amiga. O texto é muito bom.

Escreva um comentário