Bullying faz adolescentes obesos procurarem cirurgia bariátrica

Início / Blog / Bullying faz adolescentes obesos procurarem cirurgia bariátrica

A cirurgia bariátrica não é uma cirurgia estética. O paciente precisa passar por um amplo acompanhamento e já ter tentado perder peso pelas formas tradicionais, incluindo consultas com nutricionistas e endocrinologistas”

Indicada no tratamento de obesidade mórbida, procedimento tem sido cada vez mais procurado por adolescentes que sofrem bullying. Pesquisa diz que 30% dos estudantes já foram vitimas dessas agressões

A população jovem brasileira está engordando. Dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares, realizada pelo IBGE, referente aos anos de 2008 e 2009, mostram que 21,7% dos jovens entre 10 e 19 anos estão acima do peso e mais de 30% das crianças entre 5 e 9 anos apresentam excesso de peso.

Com o crescimento da obesidade nas crianças e jovens, cresce também os casos de bullying, que são caracterizados por agressão física ou moral que um indivíduo ou um grupo praticam contra outras pessoas. De acordo com a pesquisa do IBGE, 30% dos estudantes brasileiros já foram vítimas dessas agressões.
Esse fato coloca o bullying como um dos principais motivos dos adolescentes para buscar a cirurgia bariátrica como tratamento para a obesidade.

No ano de 2009, de acordo com os últimos dados divulgados pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), foram realizadas no país 1,5 mil cirurgias em pacientes com menos de 20 anos, representando 5% do total de cirurgias realizadas em 2009. “A legislação brasileira só permite a cirurgia após os 16 anos ou esses números seriam maiores ainda. Muitos chegam ao consultório contando o preconceito que sofrem por serem obesos e acham que a cirurgia é a única solução, mas é preciso muita cautela e o paciente deve ser muito bem avaliado pela equipe clínica”, diz o cirurgião membro titular da SBCBM, Dr. Roberto Rizzi.

Preconceito

Mesmo com o assunto na mídia e diversas campanhas para acabar com o bullying e também reduzir o preconceito com os obesos, uma recente pesquisa realizada pelo HCor – Hospital do Coração – que entrevistou 600 pessoas no Rio de Janeiro e São Paulo – revelou que 50% da população não casaria com uma pessoa obesa e 81% dos entrevistados afirmam que a obesidade interfere na ascensão profissional. “Essa é a realidade que vemos no consultório. Muitos jovens obesos que procuram a cirurgia bariátrica têm a vida social e profissional estagnada, muitas vezes por vergonha e por não querer enfrentar o preconceito que realmente existe na nossa sociedade”, destaca Dr. Rizzi.

Apesar da idade mínima, a cirurgia bariátrica só pode ser indicada no tratamento de pacientes com IMC (Índice de Massa Corpórea – peso dividido pela altura ao quadrado) acima de 40. “A cirurgia bariátrica não é uma cirurgia estética. O paciente precisa passar por um amplo acompanhamento e já ter tentado perder peso pelas formas tradicionais, incluindo consultas com nutricionistas e endocrinologistas. Para pacientes com IMC entre 35 e 40 a cirurgia é liberada para casos com doenças relacionadas à obesidade, como diabetes e hipertensão”, conclui Dr. Rizzi.

http://www2.uol.com.br/vyaestelar/bullying_obesidade.htm

Mostrando 4 comentários
  • Renata

    eu ja fui tao chamada de gorda, que quando alguem me chama de cheinha eu ja choro. eu sempre odiei ser gorda, e sempre pensei “ele nao gosta de mim porque eu sou gorda” fui uma criança MUITO gorda, e sei como é dificil. as outras crianças realmente pegam pesado com você. triste. :*

  • Lucianne

    Oi Lu!!!
    Que coisa mais triste, primeiro os pais não se preocupam com alimentação dos filhos, sim porque tirando as causas geneticas, a obesidade infantil e na adolecencia está ligada a má alimentação e sedentarismo..Quanto sofrimento causado a essas pessoas!
    E em que mundo mais cruel estamos viviendo. A falta de tolerancia as diferenças…nem parece que elovuimos tanto em tecnologia e ainda ratejamos em convivencia humana!
    Otima terça!
    bjux e shalom

  • sergio

    eu ja sofri muito com este tipo de perseguição quando eu estudava ., o unico jeito que eu tive para me livrar desta perseguição foi mi torna pior do que eles. eles criarão em mi uma raiva tão grande que eu comecei a agredir eles com as mesmas atitude que eles tinha com migo ,eu era um garoto muito magro e isto ja era motivo para eles mau tratar-me ,e quando uma criança apresenta muito odio com os coleguinhas da rua os pais tem que fica atento com as atitude dos filhos, pois ele deve está sofrendo bulhying. as pessoas relaciona bullying com as criança que sofre algum tipo de mau trato dentro de casa ,muitas vezes esses crianças nunca sofreu nemhum tipo de mau trato dentro de casa ,ao contrario essas crianças são super protegida pelos pais ,elas acham que sempre sera protegida pelos pais.e maltratar um amigo não é nada de mais;eu venci o trauma que ficou dentro de mim com o esporte, eu coloco toda a minha raiva para fora quando eu estou levantando peso, hoje eu tenho trinta e quatro anos e eu ja superei um passado negro

    • Luciana

      Olá Sérgio, o que contou a respeito de sua vida é uma realidade que acontece muito no dia a dia. Eu também fui vítima de bullying quando criança, pois usava aparelho externo na boca, e realmente ninguém nos auxilia nessa hora.Fico feliz que encontrou uma forma de lidar com sua raiva, e acredite, tente ser feliz e perdoar essas pessoas. Um abraço carinhoso

Escreva um comentário