Não dá para viver sem pequenos prazeres

Início / Alimentação / Não dá para viver sem pequenos prazeres

por Luciana Kotaka

No dia 01 de outubro, a convite da Coca-Cola estive em São Paulo para assistir uma palestra do Dr. Alfredo Halpern muito conhecido por sua participação no Programa Bem Estar da Globo.

 VivaPositivamente 349

Esses encontros sempre são muito interessantes, até mesmo para que eu tenha um padrão de comparação com o trabalho que desenvolvo em minha clínica de Obesidade e Transtornos alimentares.

Fiquei muito satisfeita porque as informações recebidas batem diretamente com o meu conhecimento a respeito da obesidade e como devemos nos alimentar. Não mudou muito as estratégias para o controle dessa doença: acompanhamento médico, nutricional, psicológico e atividade física. O interessante é que não é necessário manter um ritmo intenso de atividade física, 30 minutos em alguns dias da semana é o suficiente.

IMG_2042

Dados inéditos do Ministério da Saúde revelam que, pela primeira vez, o percentual de pessoas com excesso de peso supera mais da metade da população brasileira. A pesquisa Vigitel 2012 (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico) mostra que 51% da população (acima de 18 anos) está acima do peso ideal. Em 2006, o índice era de 43%. Entre os homens, o excesso de peso atinge 54% e entre as mulheres, 48%.

VivaPositivamente 317

A grande questão que se coloca é como lidar com os alimentos que suprem nossa necessidade de conforto e causam um tremendo bem-estar, como os chocolates, comidas ricas em gordura, refrigerantes e sucos.

Basta nos reportarmos à comidinha da vovó nos finais de semana com a família para constatarmos como esses momentos são regados de alegrias e de alimentos e bebidas que ficaram marcados em nossa memória. Muitos são os relatos de pacientes que associam a comida com esses momentos e como é difícil se desvincular deles, afinal dieta seria sinônimo de restrição e quem quer abrir mão dessas deliciosas lembranças?

Porém atualmente sabemos que não é assim, o Dr. Alfredo Holpern mesmo afirma que devemos comer de tudo, com parcimônia, esse é o segredo do sucesso na manutenção do peso, da boa alimentação, sabermos equilibrar as quantidades dos alimentos ingeridos.

Porém tem muitos outros fatores que levam à obesidade que não é um simples copo de Coca -Cola, e a obesidade que é uma doença reconhecida pela AMA (American Medical Association) também é resultado do sedentarismo, fatores genéticos, ambientais, má alimentação ou seja um conjunto que acaba sendo o grande disparador do acúmulo de gordura corporal e abdominal.

Link do AMA – http://www.ama-assn.org/ama

Desta forma após muito pesquisar e trabalhar com o assunto concordo com o Dr. Alfredo que a comida é um prazer sim, e precisa ser consumido com controle, mas nunca ser dispensada nos momentos que nos proporciona prazer e bem-estar. Nada melhor do que lembrar que nesse encontro, além das comidinhas gostosas preparadas com carinho para os blogueiros do Viva Positivamente, tivemos o prazer de saborear sucos, água e refrigerantes sem culpa, pois sabemos que vamos cuidar de nossa alimentação e praticar atividade física para não corrermos o risco de sermos mais um na estatística crescente da obesidade no mundo.

VivaPositivamente 350

Na parte da tarde Pedro Massa da Coca-Cola esteve com a gente para contar sobre o projeto que desenvolvem com os produtores de açaí na Amazônia. O objetivo do projeto visa orientar essas comunidades a aproveitarem o açaí preservando a qualidade do fruto, melhor forma de transporte do produto, refletindo diretamente no aumento da renda familiar e qualidade de vida para as comunidades.

E no fim de cada encontro do Viva Positivamente fica o gostinho de “quero mais”, “quando será o próximo evento”, pois sempre saímos recheados de informações importantes para repassarmos aos  seguidores de nossos  blogs.

 

Comentários
  • Chris Ferreira

    Oi Luciana, eu queri muito ter estadono econtro. Esse assunto é muito importante pra mim já que vivo essa luta contra o sobrepeso que no meu caso é decorrente do controle excessivo e muito restritivo durante a minha adolescência. Acredito plenamente que a resposta está no equilíbrio e na parcimônia.
    Adorei saber um pouco do que eu perdi através do seu relato.
    beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com

Escreva um comentário