Positividade geradora de alegria e bem estar

Início / Alimentação / Positividade geradora de alegria e bem estar

Imaginem a cena após eu chegar ao Rio de Janeiro para um encontro de blogueiros, além da linda visão que fui presenteada ao descer no aeroporto Santos Dumont, seguimos para o local do evento e me deparo com um cenário incrível, embaixo das lindas árvores uma linda toalha gigante xadrez, vários bancos, mesas, flores, comidinhas saudáveis, tudo de  forma a acomodar a todos participantes, além é claro, de focar na sustentabilidade. Um piquenique pra lá de delicioso!

Esse foi o cenário do evento Viva Positivamente Balanço Energético que aconteceu no dia 19 de setembro no MAM, um ambiente superastral, onde encontrei sorrisos, abraços, matei as saudades e ainda recebi muita informação positiva.

Nesse encontro contamos com a presença de dois profissionais da mais alta qualidade:

Dr. Victor Matsudo e a nutricionista Cláudia Cravo, não tem como não ficar satisfeita com dois profissionais falando sobre a área que sou apaixonada, então vou citar alguns pontos discutidos das quais me fez refletir muito e repensar alguns comportamentos.

– Comida não tem posologia, remédio tem;

– Uma criança de 07 a 17 anos de idade deve fazer exercício de pelo menos uma hora ao dia, isso significa se mexer, sair da frente da TV e do computador, não propriamente estar em uma academia;

– O glúten só deve ser retirado a partir do momento em que se faz exames para comprovar a sua intolerância;

– A balança é um excelente instrumento para controle do peso;

– Não podemos viver de dietas, devemos aprender a comer de forma equilibrada;

– Atividade física deve ser um prazer, senão não será autosustentável,

– A segunda causa de mortes no mundo se deve ao sedentarismo;

– 60% da população é sedentária, as campanhas deveriam focar mais nesse aspecto do que em doenças em geral;

– Correr é um comportamento de fuga, não é um comportamento natural do ser humano;

– Olhe no rótulo do queijo amarelo, se não tiver carboidrato no rótulo não tem lactose;

– Light reduz o açúcar ou a gordura, mas precisamos entender os nutrientes desses alimentos;

– Faltam informações nos rótulos que servem de alertas;

– Ativamos o metabolismo quando começamos a comer;

– 300 minutos de atividades físicas por semana, já ajuda bastante a manter a saúde.

Além dessas informações e outras que esclareceram, pudemos usufruir de um delicioso piquenique saudável, com lindas saladinhas e sanduíches, mas claro que não podia faltar um brigadeiro de colher, porque comida também dá prazer, só precisamos saborear com moderação.

Esse é o ponto chave para mim no trabalho que realizo na clínica, porque não podemos imaginar que conseguiremos parar de comer ou beber o que nos agrada, claro que podemos melhorar a qualidade em geral, mas nunca se obrigar a extinguir da alimentação alimentos que nos lembram de bons momentos, que nos fazem dar risadas em volta de uma mesa ou mesmo de deleitar de puro prazer por comer algo que ama muito.

Por isso que as dietas são contraproducentes, focamos na retirada excessiva do que gostamos e não damos conta de manter esse comportamento. Viver é ser feliz, é sentir prazer em nossas escolhas.

Claro que precisamos cuidar da saúde, queremos ter disposição, corpo adequado, sem corrermos o risco de doenças geradas em função da obesidade, porém podemos ter tudo isso a partir do momento que nos exercitamos e conseguimos fazer escolhas assertivas, sem excessos desnecessários, mas com direito a saborear o que se gosta.

A palavra de ordem é Equilíbrio!

Achei fantástico quando a nutricionista falou que dá aos pacientes dela pequenos sanduíches na hora dos lanches, faz todo sentido e eu mesma há anos adoto esse comportamento. Quem sabe do meu corpo sou eu, não dá para eu passar a tarde toda com uma fruta, mas quem sabe a fruta e depois um sanduíche preparado conforme as orientações nutricionais importantes para minha saúde. Porque falo sobre isso aqui? Por que vejo muitas mulheres sofrendo sem necessidade e seguindo dietas malucas, que por sinal são temporárias e levam aos transtornos alimentares.

Vejo que a mudança nesse aspecto é pra ontem, sendo necessário mudar valores e acima de tudo aprender a se amar e se respeitar. Temos um biótipo, uma herança familiar, em nada adianta se lamentar por não sermos da forma que a mídia prega, e sim valorizar e cuidar do que somos.

O mais interessante desses encontros é que reafirma minha postura perante o que penso e pratico, e com certeza se você entrar nessa irá ver que ser feliz é mais simples do que imagina.

Viva 313

Segue o curriculum dos profissionais:

Dr. Victor Matsudo, diretor científico do Centro de Estudos do Laboratório de Aptidão Física de São Caetano do Sul, coordenador geral do Programa Agita São Paulo – Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, Vice-Presidente do ICSSPE – International Council of Sport Science and Physical Education, coordenador geral – Agita Mundo Network, membro da comissão de nutrição esportiva – Comitê Olímpico Internacional, membro – International Council for Physical Activity and Fitness Research, coordenador geral – Programa Agita São Paulo e diretor geral da Rede de Atividade Física das Américas; também atende em consultório;
• Livre-docente em Medicina pela Gama Filho; especialista em Medicina Esportiva, pela USP;
• Residência médica em Ortopedia e Traumatologia e graduação em Medicina, ambas pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Nutricionista Claudia Cravo:

• Estudos em Obesidade pelo IEDE (Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia – RJ);
• Atendimento Clínico Nutricional no Centro de Medicina do Esporte;
• Atuação Profissional no grupo de Cirurgia de Obesidade – GCO;

Luciana

Mostrando 2 comentários
  • Regiane Ivanski

    Lu
    Que doçura de texto e fotos!! Amei estar neste encontro 🙂
    beijos
    Regiane

  • Chris Ferreira

    Oi Luciana, você colocou muito bem como foi o piquenique. O equilíbrio é tudo mesmo porque é muito difícil conseguir retirar completamente da nossa vida os alimentos que nostrazem memória afetiva e que nos fazem rir. Com equilíbrio podemos incluir a qualidade alimentar e equlibrar com as alegrias da vida.
    beijos
    Chris
    Inventando com a Mamãe

Escreva um comentário