Emagrecimento e seus fatores psicológicos

Início / Alimentação / Emagrecimento e seus fatores psicológicos

images (15)

A obesidade se dá quando a pessoa aumenta a ingestão calórica e diminui a queima da mesma. A obesidade tem causas multifatoriais sendo importante o trabalho de uma equipe multidisciplinar.

Aspectos favorecem esse processo:

– sedentarismo

– hábitos alimentares inadequados

– herança genética

– emoções em desequilíbrio

– ansiedade

– autoestima

– dificuldade em lidar com as frustrações

Os quatro pilares do emagrecimento:

– orientação alimentar

– incentivo a atividade física

– investigação médica

– redução da ansiedade (identificar os sentimentos, aprender a expressá-los, adiar satisfação, redução da tensão)

O foco de todo processo para perda de peso é o comportamento, pois o que garante o emagrecimento é a geração de um comportamento alimentar magro e não apenas uma restrição temporária. Comer é para a vida toda sendo fundamental que esse momento seja realizado de forma correta e que seja prazerosa, a fim de que comer não seja um suplício e sim um momento necessário como outras necessidades de nossas vidas.

O comportamento magro envolve uma série de mudanças de hábitos, que vão desde formas de se comportar no ambiente até novas formas de lidar com seus sentimentos.

Para ser magro deve-se pensar magro:

– Indo a um restaurante, preferir os que pode se servir pois terá várias opções de comidas saudáveis ao invés dos pratos prontos dos pratos a la carte. Olhe primeiramente para todo o Buffet, e só depois escolha o que irá comer. Dê preferência a saladas, vegetais crus, seguidos do prato que mais te chamou a atenção e coloque uma porção deste prato.

– Escolher subir alguns lances de escadas ao invés do elevador.

– Realizar pequenas caminhadas como parar o carro duas quadras antes do local que se pretende ir.

– Poder comprar um bombom, um sonho pequeno, ao invés de uma caixa ou barra de chocolate. Não estocar alimentos calóricos.

– Aprender a identificar se está sentindo fome (sensação de desconforto), ou ansiedade, angústia, impaciência. Fome ou vontade de comer tem diferença. Fome de comida ou fome de afeto, carinho, coragem.

Um exercício simples é fechar os olhos e pensar – Como é a minha fome? É doce ou azedo? Salgado ou doce? Macia, cremosa ou de consistência firme? Esse exercício ajuda você ser específico na sua fome. Desta forma pode selecionar seu desejo e comprar uma fatia do bolo que desejou. É um bolo de morango, então não adianta comprar um bolo de cenoura.

– Quando tem vontade de comer algo específico, satisfazer esse desejo de forma equilibrada e não tentar substituir por outro alimento.

– Praticar exercícios físicos de forma a cuidar de seu corpo, sua imagem corporal, elevando sua autoestima. – Levar uma lista de compras ao mercado e se restringir ao que se programou em comprar.

– Comer devagar, realizando pequenas pausas descansando os talheres no prato. Aprender a apreciar o sabor da comida e a textura. Esse processo permite com que se tenha tenho necessário para sentir–se saciado. Do contrário, quando comemos depressa não pensamos na quantidade que estamos ingerindo e só paramos quando sentimos que estamos estufados, nos sentido gordos.

O emagrecimento segue três passos:

– O que comer: (qualidade e variedade)

– Quanto comer? (quantidade)

– Quando comer? (fracionamento/ regularidade)

Aqui se faz necessário uma avaliação com um profissional da área, seja um nutrólogo ou um nutricionista. Esse profissional estará habilitado para orientar de forma adequada para se obter um resultado satisfatório.

O nutricionista vai cuidar desse processo alimentar e o psicólogo irá cuidar do processo de manutenção, focando o comportamento, resolvendo os conflitos que acabam por deflagrar em um processo compulsivo.

 

Escreva um comentário